Relatos segmentados

Olá galera. Já era hora de retirar as traças daqui. A verdade é que sempre há coisa demais para escrever, mas é lógico, a preguiça costuma vir na frente.

Como sabem, no início do mês eu deveria estar de volta para o Brasil mas meu estágio foi prorrogado. Pois sim, sem novas prorrogações pois é legalmente impossível, no meio de dezembro estarei de volta.

Quanto ao que interessa, evidentemente que eu tenho muita coisa sobre diversos assuntos para escrever, mas para não fazer outro daqueles posts quilométricos resolvi segmentar. Falarei de um pouco de tudo desde que cheguei mas começarei pelo tema IDIOMA.

Relato de viagem: IDIOMA
Para começar, aqui na Cataluña não existe o idioma espanhol, mas castellano, e ainda que os catalães também o aprendam, o idioma oficial é o Català. Não entrarei em detalhes quanto à isso, por várias questões históricas as muitas pessoas aqui se sentem ofendidas se tentamos falar com elas em castellano e se negam veementente em responder neste idioma.

Quanto ao espanhol castellano, ainda que eu tenha tentado enganar-me, antes de vir para cá eu não tinha o espanhol intermediário como era preciso. Sabia o pouco que havia aprendido na escola em 1 ou 2 anos que passei apertado pelas provas e por um curso intensivo que comecei a fazer 3 meses antes da viagem, ainda quando esta era só uma possibilidade.

Mesmo assim eu não cheguei a ter dificuldade com o idioma, acho que por dois motivos:
1º: muita conversa. Apesar do baixo nível no idioma eu aproveitava e inventava oportunidades para conversar. É muito encontrar com senhores e senhores de idade nas ruas e conversar com eles sobre qualquer assunto. Aprendi um bocado da política e história da Espanha graças à isso.
2º: o mais óbvio, televisão. O bacana é que a gente aumenta o vocabulário sem perceber, ainda que a televisão aqui também esteja um lixo. Aqui há um programa que é o melhor não humorístico que eu me lembro ter visto, Espanhóis no mundo, mas depois se lembrar falo pouco mais sobre ele.

Quanto ao català, com este sim eu tive uma pequena dificuldade. Se tiverem curiosidade de entrar no site (http://www.ccmaresme.cat) verão que o idioma é bem diferente do espanhol, na escrita lembra muito o francés. Meu estágio é em um órgão público de “la generalitat” onde todos documentos são em català. Como tive que estudá-los acabei assimilando muita coisa. Hoje não sou capaz de falar mas o entendo razoavelmente, na escrita ou na conversação.

Por último (acho que não sei fazer posts pequenos) tenho a falar sobre o inglês. Eu realmente não imaginava que teria oportunidade de treiná-lo, mas por um tempo usei-o mais que o espanhol. Entre os outros estagiários que vieram pela IAESTE e estão na Espanha, a língua oficial é o inglês. Isto foi uma das coisas mais bacanas. No primeiro dia que falei em inglês, eu já tinha passado alguns dias conversando em espanhol, assim tive muita dificuldade para falar qualquer palavra em inglês, mesmo as mais simples, só saía espanhol. O contrário também aconteceu, depois de um fim de semana falando em inglês foi difícil encontrar palavras em inglês pois só saía espanhol.

Como disse antes, se tive alguma dificuldade aqui, o idioma não foi uma delas. Claro, ainda hoje eu não falo espanhol ou inglês fluentes, mas com certeza me viro muito bem numa conversa, principalmente com espanhol. Também não passei aqui tempo suficiente para falar em espanhol quando queria falar português, mas algumas palavras que eu não usava em português e uso muito em espanhol causam certa confusão.

Bom, espero que até breve.

Meu último mês

Resolvi retirar as traças daqui… estava na hora de escrever algo também né!!!

Falando sobre a IAESTE, eu realmente não estou recebendo nada para falar dela aqui, mas eles realmente nos apoiam muito aqui. Eu não sei como ela funciona nos outros lugares, mas aqui na Espanha eles têm sempre a preocupação de garantir que a nossa estadia seja a melhor possível… sempre programam alguma coisa para o fds e até para dias de semana, indicam lugares bacanas para visitarmos, nos ajudam muito com questões burocráticas, são solícitos para atender nossas dúvidas, (algumas vezes para adiantar algum dinheiro), etc…
Eu realmente não sei se isso é feito aqui porque os “funcionários” (ou voluntários, não sei dizer) realmente gostam de participar ou se é via de regra da deles, mas a questão é que não tenho do que reclamar.

Quanto às fotos que vocês cobram bastante, eu tenho algumas pendentes de postar, mas a verdade é que estou perdendo muitas oportunidades de tirar fotos… eu acho que não sou um turista comum, parace que eu fico tão empolgado com tudo que na hora esqueço de tirar foto, ou fico com medo de perder alguma coisa, sei lá… tentarei mudar isso nesse meu último mês…

Ah sim, eu já havia dito para a maioria (ou todos os 5 que lêm o blog) que este mês vou à Paris junto a mais 4 (ou 5) pessoas… o melhor de tudo é que o preço está muito em conta.. vejam:

Passagem: €20.00 (ida e volta avião)
Albergue: €30.00 (duas noites)
Transportes: +/- €50.00 (cidade-aeroporto)
Outros gastos: A ver, espero (muito!!) que não passe de €70.00…

Aqui há algumas companhias low cost que fazem promoções inimagináveis para a Europa quase inteira.

Possivelmente também viajarei ao Sul da Espanha (Andaluzia) uma semana antes de voltar ao Brasil… impressionante como os espanhóis de aqui são fascinados com Andaluzia, recebi inúmeras recomendações que é um lugar que eu TENHO que visitar.. só estou mirando os gastos, mas parece que vai dar…

Espero postar em breve notícias relevantes e fotos….

(Desculpem se o texto está difícil de ler ou com erros, fiz com pressa e realmente não estou a fim de revisar)…

!Hasta luego¡

O herói

Falando em sonhos de infância, um dia sonhei em ser super-herói, desses mascarados que salvam o mundo e ficam com a mocinha no final. O tempo passou e eu descobri que esses heróis não existem, ninguém poderia ter aqueles poderes que pudessem salvar o mundo. Enquanto eu descobria isso aprendi ainda que pessoas normais poderiam ser heróis. Foi quando conheci o Ayrton Senna. Ele não tinha máscara só um capacete, não tinha poderes de voar mas de correr muito rápido, não tinha controle sobre mentes mas reunia um país inteiro aos domingos. Mas ele morreu, e morreu cedo mostrando ao mundo seus “poderes”. E heróis morrem? Foi duro perceber que sim.
Nesses meus 21 anos de vida tive alguns heróis, pessoas que me inspiraram e ajudaram a moldar no que sou hoje. Porém, na verdade, meu maior herói desde moleque, que nunca me abandonou, que sempre esteve comigo durantes cada dia desses 21 anos, para mim, se chama PAI.
Nesse tempo que passou, este meu herói embalou muitos dos meus sonos com suas histórias, me trouxe alegria com todas suas brincadeiras, me ensinou muito com sua grande paciência em responder todos os meus “PORQUÊ’S”, e olha que foram muitos. Então não me venha dizer que é lugar-comum quando digo que grande parte do que sou devo à ele.
Muita coisa mudou desde os melhores tempos. Já não fazemos aquelas viagens incríveis de fim de semana, não há histórias de dormir, meus gostos mudaram, eu mudei, você mudou, nossa relação mudou. Problemas chegaram, problemas se foram e uma distância de algumas centenas de quilômetros insiste em nos separar já há algum tempo. Mas com tudo isso você continua sendo, e sempre continuará, o meu herói. Obrigado por tudo. Te amo. Talvez seja injusto um Dia dos Pais, porque você é pai todos os dias, mas que bom que há uma data que possa homenagear este feito, então, FELIZ DIA DOS PAIS.

Eu, eu mesmo e a Lete

Devo começar dizendo que sim, é verdade, eu estou com a Lete.
Desculpem a demora em dizer, mas é que nós preferimos manter em segredo por um tempo. Contudo agora já é inevitável admitir, está evidente demais.

Ela é realmente maravilhosa, linda e inteligente, um combo. Já não penso em outra coisa a não ser nela, e sou mais feliz em saber que é recíproco.

Ok… Tem a questão da distância, isso, é verdade, atrapalha um pouco. Ainda assim conseguimos nos ver de vez em quando. Recentemente estivemos em Madrid, durante duas visitas rápidas. Mas, pensando bem, a última vez que nos vimos foi aqui em casa mesmo, um filme que vi com ela… Ahhh, o filme!!!! Qualquer coisa com ela não é menos que encantador, o tempo passa mais devagar (ou voa, sei lá), o mundo fica azul, os pássaros cantam, o mundo pára e quando pára tudo parece que é dela e só para ela. Durante esses segundos (ou horas não sei dizer) tudo que existe se torna à contemplá-la, a própria imagem da beleza e do encanto.

Deste último encontro tomamos a decisão de contar, pelo menos aos amigos e família, o que realmente há entre nós. Não iam demorar a saber mas, depois de longa conversa, agora parece o momento certo, afinal, aqui na Espanha as coisas tomam uma dimensão diferente e as lentes maldosas dos paparazzi parecem mais cruéis.

Scarlett Johansson, I miss you, não demore a voltar.

————————————————————————————–

Scarlett (ou Lete), Julho em Madrid:
http://moda.bicodocorvo.com.br/fotos/scarlett-johansson-tira-fotos-no-estilo-punk

Meu primeiro mês

Woow… esta semana completo meu primeiro mês aqui.. como o tempo passa rápido…

Nesse tempo não tenho reclamações a fazer, não sofri preconceitos, não tive problemas com ninguém e fui muito bem recebido em todos lugares que estive.
No entanto, ontem, estava eu esperando um amigo da Finlândia numa praça perto de casa quando aparece um homem bem mulambo pra me pedir informação. Suas palavras: “Ei, usted sabes onde tem una ‘Bombera de gasolinera’ perto de aqui?”. Nem precisava mas ainda o perguntei se ele era brasileiro. Ele é de MG e trabalha numa empresa que faz campos de futebol sintéticos, veio recentemente pra Espanha mas já morava em Portugal há 4 anos.
Tentando o ajudar pedi informação a um outro homem que passava na rua, que por sinal estava com pouco movimento por ser um domingo. Como de costume ele prontamente tentou me ajudar. A coisa desandou quando chamei o outro brasileiro para especificar mais o lugar que ele queria encontrar. Notei que enquanto o cara falava, o espanhol ficou bastante receoso (e com razão). Para se livrar falou (educadamente) que ali ao lado havia uma Comisaria de Policia, eles saberiam informar qualquer coisa, e se foi. O problema é que quando pedimos informação devemos ser cautelosos, exagerar na educação e manter certa distância para que a pessoa se sinta segura, exatamente o oposto do que o brasileiro fez. No final ele ainda ficou reclamando da falta de prestatividade dos espanhóis. Ainda tentei justificar que a atitude do homem foi coerente mas não convenci. Sei que há realmente casos de preconceito mas também sei que na maioria das vezes estes podem ser rompidos com uma postura mais cautelosa nossa. Fica aí a dica.

Mudando de assunto, sexta encontrei-me pessoalmente pela primeira vez com o pessoal da IAESTE. Fomos a uma barraac na praia: um finlandês, um sérvio, um tailandês e eu. Cada um deles falava somente seu idioma nativo e inglés. Putz, eu nunca havia tido uma conversa em inglés na minha vida. Não foi difícil entendê-los, mas logo quando os encontrei meu cérebro deu un nó. Não saiam palavras em inglês de jeito nenhum, sempre falava em espanhol. Até quando ia falar EU (I em inglés) saía YO. Com mais um pouco de conversa consegui diminuir o problema, não por completo. Mas valeu, conseguimos nos entender.

Já no domingo eu voltei à igreja com culto em catalão. Foi muito mais fácil de entender. Acontece que essa semana inteira eu recebi alguns relatórios e ATAS de reunião nessa língua, e tive que entendê-los para gerar um outro documento. Foi ótima a oportunidade para aprender o idioma (que convenhamos, não vou usar em nenhum outro lugar) e mostrar para os catalães interesse na cultura deles.
Pouco depois de chegar recebo ligação do Tomi (Finlândia). De inicio eu entendi que me chamava para praia e que o pessoal da IAESTE estaria lá, mas na hora de combinar horário e lugar de encontro não entendi nada… pra não irritá-lo muito o pedi para que ele passasse por email… heheh…
De novo, todos só falavam inglés, mas foi mil vezes mais fácil. Estávamos em 11 pessoas, só eu de brasileiro e único que fala espanhol. Assim eu era o tradutor. Na hora de jogar volei na praia todas 4 redes estavam ocupadas e eu saí de uma em uma para perguntar se iriam demorar. Numa delas o diálogo foi o seguinte. Eu: “Hola, buenas tardes. Van a quedarse mucho tiempo aún?”, a moça vira para os outros e pergunta: “Ô galera, a gente ainda vai ficar muito tempo aqui?”… “ahhh.. mais brasileiros, eu tb sou…”. Expliquei para os gringos que eles iriam demorar um pouco, haviam nos chamado pra jogar e eram brasileiros… me senti o poliglota, ainda que bem longe disso… heheheh…

QUanto ao pessoal, são todos muito bacanas. Dos que me lembro agora havia a Barbara da Croácia, Tori e marido da Noruega (voltaram para o país hoje), duas da Macedônia, Tomi da Finlândia, Zoran da Sérvia, e os outros que não me lembro agora. É bacana conviver com essa diversidade. A gente observa coisas interessantes, por exemplo, o sol se escondeu ontem, ventava bastante e a água gelada. Eu senti bastante frio algumas vezes, já para o cara da Finlândia estava excelente, ele inclusive achou a temperatura da água muito agradável… Outra curiosidade, as meninas da Macedônia trabalham com desenvolvimento de softwares tb, fazem Sistemas de Informação. Cada uma trabalha em uma empresa e, evidentemente (ao menos para mim), elas são uma das únicas mulheres na empresa. No entanto, para elas isso é muito estranho porque na Macedônia há muitas mulheres fazendo informática, as empresas de desenvolvimento estão cheia de mulheres (elas tb falaram mais um monte de coisas interessantes em inglés que eu fingi que entendi, tb num vou ficar falando pra elas repetirem toda hora.. heheh)…

Depois disso tudo, o inglês agora está bem mais fácil, quase já não tenho problema com a mistura com o espanhol (há não ser algumas palavras que já estão encrustadas em minha mente). Minha dificuldade agora é entendê-los quando conversam entre eles. Por exemplo, às vezes está todo mundo conversando e pedem minha opinião… fico meio perdido mas às vezes consigo me sair… numa conversa direta já compreendo quase tudo… mas tá bacana, vai ser bom pra melhorar meu inglês. Aliás, eu não imaginava que teria também a oportunidade de melhorar o inglês, está saindo como um bônus.
Também tive um pouco de dificuldade no domingo quando cheguei em casa para falar espanhol, algumas palavras saiam em inglês, mas foi mto mais fácil de contornar…

Finalizando outro post enorme, quero agradecer ao pessoal que está lendo, comentando… Vlw pelo comentário Zé Mário, Railton, André que está sempre por aí… hehe.. Lucas, mãe, irmão, pelas visitas, etc, etc, etc…

Hasta luego…

——————————————————————————–
Update
http://www.elebrasbrasil.com.br
Vou deixar o link aqui até o Mr. Internet Search encontrá-lo.

Fds em Barcelona

Este fim de semana o pessoal da IAESTE marcou de fazer um tour por Barcelona. Para chegar ao local marcado tive que pegar um trem, um metrô e andar mais alguns minutos. No metrô, fui pedir informação para uma mulher que estava comprando ticket na máquina e ouvi o seguinte: Você é brasileiro??? heheheh… foi a primeira vez que conversei em português com alguém aqui na Espanha. É impressionante o número de brasileiros em Barcelona, vira e mexe esbarrava com algum.

Voltando ao encontro com o povo da IAESTE, eu não consegui os encontrar no local e horário marcados, e pra piorar o celular deles estava fora do ar. Pra não perder viagem decidi fazer o tour por conta própria.

Comecei um pouco desanimado porque não fazia a menor idéia de para onde ir e nem o que fazer. Não demorou muito até que eu encontrasse uma moça muito simpática da Barcelona City Tour. Ela me falou um pouco sobre como funcionava o passeio pela companhia.
Explico: a empresa tem diversos ônibus que ficam circulando por 3 rotas diferentes nos diversos pontos turísticos da cidade. Dentro do ônibus a gente fica com um fone de ouvido que vai nos informando onde estamos, o que há para ver, etc… Quando a gente se interessa em ver o lugar, podemos descer do ônibus, passear, e depois voltar para o ponto esperando o próximo ônibus da empresa. Fazemos tudo isso por um valor fixo de 21 euros um dia ou 27 euros por dois dias consecutivos. Eu topei na hora o de dois dias porque era justo o que eu precisava. A moça simpática ainda gastou um pouco mais de tempo conversando porque se interessou pela idéia de um brasileiro sozinho em Barcelona, moça gente fina qualquer tanto. Aliás, o pessoal de atendimento ao turista são em geral muito bacanas.

Quanto ao passeio, no sábado comecei na Plaza da Catalunya. Logo depois fui ao Park Güell, projetado por Gaudí, aliás, Barcelona tem diversas construções de Gaudí. Quanto ao parque, ele é muito bonito mesmo, tem um clima meio bucólico que é fortalecido ainda por uma japonesa tocando harpa em um ponto do parque.

Depois de passar em alguns lugares que não me lembro agora, veio o que eu mais esperava, o Camp Nou. Também fiz um tour pelo estádio. Primeiro um filme de 15 minutos em 3D, de um jogo do Barça, uma passada no vestiário do time visitante, depois uma visita ao campo, descendo pela mesma escada que os jogadores e, no fim, uma visita ao Museu do Barcelona. O estádio é enorme, se não me engano o maior da Europa, então, tem coisa demais para ver. Eu não aproveitei o suficiente porque a bateria da minha câmera acabou bem na parte que a gente chega perto do campo, foi bem desestimulante.

Para abreviar, porque o post já está muito maior do que meus planos iniciais, no sábado haveria a festa maior de Mataró, então voltei cedo para não perder.
Já no domingo eu fui na Igreja Evangélica, o nome é esse mesmo, aqui mesmo em Mataró. Culto em catalão, não entendi quase nada, domingo que vem vou procurar outra em Barcelona mesmo, de preferência que seja em castellano.
Voltei a Barcelona a tarde e terminei de ver os lugares que não tinha ido, entre eles a famosa Rambla, uma longa avenida que vive cheia de turistas.

Bom, como disse, no início eu estava meio receoso quanto a passear sozinho mas descobri a vantagem disso, que é a mais óbvia, podemos parar mais tempo nos lugares que mais gostamos e passar menos nos que não gostamos. Andamos quando queremos andar e paramos quando queremos parar. E se quisermos conversar, há vários turistas na mesma condição que a gente e assunto é o que não falta. Eu já tinha projeto de fazer um mochilão quando possível e esse passeio fortaleceu minha idéia. Viajar, conversar com pessoas, ver lugares bacanas, são experiências que não tem preço, vale muito a pena.

Fico por aqui, amanhã não trabalho (Feriado da Cidade) e queria ir na apresentação do Ibra mas só se arrumar carona, cheguei no meu limite de gastos… ehhehe..

Abraço galera… saudades…

El Camp Nou

El Camp Nou

Um pouco de tudo

Vlw pelos comments anteriores… só o povo da Bahia que não têm escrito nada… Jana, Mateus, Zé(nem conto q tá mais q sumido), Karen, Livia, Kiko, Bruna, etc etc… vamo aparecer aí né… heheh

Falando sobre Mataró: a cidade não é grande mas não é pequena como eu pensava. São mais de 120.000 habitantes e mta coisa para ver. Uma curiosidade é que a cidade tem praias e montanhas, assim há atividades para verão e inverno.
As praias que têm aqui são do Mar Mediterrâneo (que é gigante) não do oceano, então há algumas coisas curiosas… por exemplo… creio que no inverno, o próprio mar leva a areia da praia pra outro lugar, e antes do verão trás de volta, daí cada ano a costa tem uma cofiguração um pouco diferente… engraçado né… este ano o mar trouxe pouca areia, pra compensar o governo está despejando alguns caminhões na praia….
A cidade é mto organizada, assim como o trânsito… Quando não á semáforo nas esquinas, os pedestres têm 100% de preferência, os carros literalmente param para os pedestres passarem… tive algumas dificuldades qto a isso pq eu sempre espero o carro passar para então atravessar a rua… houve um dia que eu esperava o carro passar e não percebi que ele estava plantado me esperando…

Falando um pouco de costumes: eu já tinha percebido que o pessoal aqui come bastante, mas ontem foi meio inusitado…
Saí mais 4 colegas pra jantar e assistir ao Filme Bruno. Fomos a um restaurante italiano no Centro Comercial (Shopping), esquema: valor fixo e come o tanto que quiser… Notei que havia duas “seções” para se servir, No entanto num primeiro instante todos usaram somente uma destas. Como costumo fazer, imitei-os…
Papo vai, papo vem, eu já tava terminando de comer. Estava bastante satisfeito já, e pensando comigo que pelo menos o valor compensou, a comida estava boa e comi bem… Num instante, quando todos haviam terminado, eles se levantam e me chamam para pra 2ª parte, na tal seção que ninguém tinha ido no início… putz… a 2ª parte é a que inclui as carnes, a que considero a mais pesada… eu já tava bem satisfeito com a primeira…
Bom.. pra não contrariar costumes lá vou eu de novo. Depois de um pouco de esforço consigo terminar a 2ª parte já imaginando como o restaurante faz para ter lucro desse jeito… Sem que eu pudesse concluir o raciocínio vejo todos levantarem de novo e me empurrarem para pegar a sobremesa (detalhe que aqui não existe refeição sem sobremesa no final)… fui coagido a acompanhá-los novamente…
Pra minha surpresa uma das meninas ainda repetiu…. fiquei de cara msm…
O resultado final é que assisti o filme Bruno com mto sono, não conseguir rir o tanto que deveria… ehehheeh..

Os cafés da manhã também são um pouco engraçados… Como trabalhamos de 08:00 as 15:00 direto (almoço depois)… temos uma pausa pra café, e depois tomamos outro café na empresa msm… Olha só como é…
As pessoas quase sempre trazem de casa um bocadillo (que é uma palavra que serve para lanches em geral, mas no café geralmente é um sandwich com alguma coisa)… na hora do intervalo vamos para um lugar bem parecido com uma padaria+lanchonete, nos sentamos, pedimos algo para beber e tiramos os “bocadillos” da mochila… no primeiro dia eu tinha trazido meu café para o serviço mas achei evidente que não deveria levar na lanchonete… tomei um susto qdo ao chegar lá todos tinham trazido seu lanche…. eauehuhueahuea… ahh… a dona da lanchonete ficou empolgadissima de ter um brasileiro lá, ela fica toda contente qdo chego e ja vem em minha direção pra conversar e fazer alguma brincadeira.. hehe…

Bom… já me alonguei mto e não consegui pensar em nada para não terminar o post abruptamente…então depois conto mais coisas… lembrando que para ver as fotos é só clicar nesses links que parecem quebrados à esquerda…

Vlws…